Lei Ohm

A LEI DE OHM aplica-se a circuitos puramente resistivos.
Indica a diferença de potencial (V) entre dois pontos de um condutor, é proporcional à corrente elétrica (I) que o percorre:

Formula matematica lei de ohm

A formulação da lei de ohm deve-se à investigação do físico Alemão Georg Simon Ohm em 1827

V= RI

lei de ohm
  • V Diferença de potencial elétrico (ou tensão, ou "voltagem") medida em Volt (V)
  • R Resistência elétrica do circuito medida em Ohm(Ω)
  • I Intensidade da corrente elétrica medida em Ampere(A).

Fórmulas da lei de ohm em função da grandeza

Para calcular a Resistência, (R)
[R = V ÷ I] → R(Ω) = V(volt) ÷ I(ampere)
Para calcular a Tensão, (V)
[V = I x R] → V(volt) = I(ampere) x R(Ω)
Para calcular a corrente, (I)
[I = V ÷ R] → I(ampere) = V(volt) ÷ R(Ω)

A corrente elétrica ao passar pelo resistência provoca o seu aquecimento (efeito de Joule). O aquecimento resulta da transformação da energia da fonte em energia térmica. A transformação da energia elétrica em térmica denomina-se potência dissipada.
Temos por isso que
P= VI
onde:

  • P Potência em Watt (W)
  • V Tensão ou diferença de potencial em Volt (V)
  • I Intensidade de corrente em Ampère (A).

Para encontrar a potência (P)(watt)

[ P = V x I ] → P (watt) = V (volt) x I (ampere)
[ P = V2 ÷ R ] → P (watt) = V2 (volt) ÷ R (Ω)
[ P = I2 x R ] → P (watt) = I2 (ampere) x R (Ω)

A razão entre a tensão (V) e a corrente (I) que passa por uma condutor, designa-se por resistência, quantifica a maior ou menor facilidade que a corrente elétrica tem ao percorrer o condutor.
1Ω (OHM) é o valor da resistência que um condutor apresenta quando percorrido por uma tensão de 1V (volt) com uma intensidade de corrente de 1A (Ampere).

Verificada em 1827 por Georg Simon Ohm, observa que, a resistência elétrica(R) de um determinado material ao receber uma diferença de potencial(V) é constante à passagem da corrente elétrica(I). As experiências com diversos materiais, comprimentos e espessuras possibilitaram a formulação da Segunda Lei de Ohm ou Resistividade.

Lei de ohm, exemplo de aplicação

relação entre corrente e tensão com resistência fixa
Relação tensão/corrente

Para o circuito em baixo encontrar a corrente (I), a tensão (V), a resistência (R) e a potência (P)

exemplo da aplicação da lei de ohm

Usando os valores de apenas duas grandezas:

Tensão [ V = IxR ] = 2 x 6Ω = 12V
Corrente [ I = V÷R ] = 12 ÷ 6Ω = 2A
Resistência [ R = V÷I ] = 12 ÷ 2 = 6Ω
Potência [ P = VxI ] = 12 x 2 = 24W

Calculador para a lei de OHM

Volts (V) Amps (I) Ohms (R) Watts (P)

Condutores Óhmicos

Proporcionalidade da resistencia
A - Condutor óhmico;
B e C - Condutores não óhmicos.

Denominam-se condutores óhmicos ou lineares (A)os condutores cuja resistência elétrica tem sempre o mesmo valor qualquer que seja o circuito elétrico onde estão instalados, não dependem da intensidade da corrente e da diferença de potencial(tensão)(U).

Nos condutores óhmicos o quociente da tensão(U) pela intensidade da corrente é constante, ou seja, a d.d.p (U) e a intensidade da corrente (I) são diretamente proporcionais.

Os condutores que não obedecem à lei de Ohm chamam-se condutores não óhmicos ou não lineares (B-C). Para um condutor não óhmico a diferença de potencial nos seus terminais não é directamente proporcional à intensidade de corrente que o percorre, embora a sua resistência se continue a calcular pelo quociente V/I (este valor já não é uma constante!). Agora a resistência do condutor depende de I (ou de V).

Lei de Ohm - Aplicação